Animateatro | A…guardando
9999
post-template-default,single,single-post,postid-9999,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-3.4,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

ANIMATEATRO

A…guardando

  |   criações

A ESTREAR em breve

 

 

“A… guardando”
57ª  criação animateatro
M12 | … min

 

 

 

SOBRE ou a apresentação da ideia

 

“A…GUARDANDO” performance que terá como meta o conceito de tempo, aquele que nos rege, a duração, o momento.

 

Servirão de premissas no processo de trabalho o guardar o que por nós passou, tal como a expectativa no (a…) guardar o vindouro.

 

Criação desprovida do uso recorrente da palavra, entenda-se aqui esta como subterfúgio.
Numa ideologia comunitária, tendo aqui a vista do eu como um todo, será nosso intento ter presente em cada performance um alguém que será convidado/pescado dos locais a apresentar, para que viva o seu momento de espera, partilhando-o com o público, com quem nos recebe.

 

Fazendo uma homage ao universo beckettiano, interessa-nos desenvolver a persona amoral, precária, ausente no seu silêncio, que se sente frequentemente irrisória, desencantada do mundo, contudo e sem saber porquê mantém-se à tona, rompendo com o senso, com a razão.

 

A ser aquela que embora transitória, vai permanecendo e que nesse decorrer é tomada por uma consciência metaforicamente desintegrada, por uma sensação de incapacidade na tomada de decisão, esboroando aquando no confronto com o outro.

 

Todavia…é sabido que faz parte da nossa natureza terminar sempre com o intuito de iniciar, somos insaciáveis.
Encanta-nos a ininterrupta espera de algo quando muitas são as vezes em que nos encontramos atestados. Será esta dicotomia, o lidar com, que nos servirá de alimento no processo criativo.

 

O que nos move senão a expectativa do que ainda não se viveu?
Ansiamos pelo tempo fora…guardando o que já a nós pertence (aqui entenda-se o passado que escorregou ali, até há breves momentos atrás) permanecemos cheios, a transbordar de tudo, almejando contudo por algo que não sabemos o quê…poderá o tempo, o espanto, um encantamento frugal suprimir esta busca?
Anafados do tanto, aguardamos por mais.

 

Recusamos fazer uso daquela meretriz que de forma omnipresente reside em nós, pobres encéfalos! Cremos que nos ludibria, essa tal, a palavra. Por agora, façamo-la refém, nas entranhas.
Seremos permanentemente ágeis no plano emocional… serão parcas as vezes em que agiremos, aquando o feito, avançaremos até ao embate num confronto, seja ele de curta ou longa duração.
O tempo ao passar tornar-lo-á conforto, vai daí resistiremos a…guardando.
Em ânimo ou extenuados, inevitavelmente aguardando.

 

 

 

Ficha Artística

Lina Ramos (Cocriação/Performer | Coordenação/Gestão do Projeto) | Cláudia Palma (Cocriação/Performer) | Filipa Matta (Cocriação/Performer) | Patrícia Ricardo (Cocriação | Registo audiovisual | Fotográfico | Produção | Técnica) | João Ascenso (Cocriação | Encenação/Orientação Cénica)

 

 

 

Exercício: espaço

 

 

 

Exercício: espera

 

 

 

Exercício: repetição

 

 

Parceiro institucional